Girl From Sao Paulo

"you are crossing the tropic of capricorn".

02 November 2006

a sutlieza de um sentimento

Estava eu caminhando pelo shopping quando de repente me encontrei com um amigo de infancia do marido.
Profissional competente e respeitado, era alvo de muitas brincadeiras entre nós por ser solteiro convicto e afirmar que jamais se casaria e nem tampouco pretendia sair da confortavel residencia familiar onde morara desde criança. Há muito tempo não nos encontravamos, mas eu acompanhei as atribulações pelas quais a vida dele passou nos ultimos anos (a perda de um irmão, a falência financeira do pai, o diagnostico de doença terminal da mãe). Durante um tempo ele evitou sair com os amigos, e só aparecia em festas de casamento ou batizado. Parámos de insistir em vê-lo.
No entanto ali estava ele com um sorriso tão sincero, me oferecendo um café que eu apesar de ter um ingresso de filme para começar em 5 minutos, resolvi ficar com ele. Tenho certeza que o nosso café foi melhor do que o filme (que ainda não vi).
Me contou que apesar das dificuldades financeiras, continuava na academia. Os pai estava refazendo a vida, a mãe no momento estava estável, e ele tinha se mudado de casa. Tinha mudado o escritório, estava apaixonado e falou até em ser pai. Enquanto ele falava eu pensava em como a vida nos prega peças - boas e menos boas. As dificuldades que temos de olhar de frente nos obrigam a mudança e quando chegamos ao fim estamos mais amargos ou mais fortes. Eu sempre tentei chegar ao outro lado sem amarguras, mas nem sempre foi fácil. Lá pelas tantas percebi que o colarinho de sua camisa estava puido. Prestei atenção nos olhos dele e vi que tinha envelhecido, carregava no olhar o peso das experiencias e o brilho da esperança. Pedi licença rapidinho para usar o lavabo. Mas foi só para ele não perceber que fiquei emocionada.
Não temos tanta intimidade no entanto senti uma emoção forte durante essa conversa. As vezes, um detalhe apenas nos empurra alem da linha que divide um estado e outro. O que foi que me empurrou? O olhar dele? A esperança? O filho que ele quer ter? O instinto de sobrevivencia? O colarinho puido da camisa?

2 Comments:

At 8:17 PM , Anonymous Anonymous said...

ana, paula, catarino,
acabo de comprar e ver o dvd do filme VINICIUS de moraes......
entro na net
e encontro teu blog.
que poesia maior para completar?
Beijos
em ti
nos seus
do Marcão
marcosgadaian@gmail.com

 
At 12:11 PM , Blogger CelMattos said...

Acho Ana, que foi tudo junto a sua sensibilidade. Muito bom! beijos, Cel.

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home