Girl From Sao Paulo

"you are crossing the tropic of capricorn".

14 September 2006

"monteuse"



(A linda senhora da foto é a Thelma Schoonmacker)

Esses dias, a trabalhar como montadora em um video clipe me vi dando play e sentindo o coraçao disparar quando os cortes finalmente chegavam no ponto crucial, no frame onde eles precisavam estar. Parece loucura para alguns, mas as vezes dois frames a mais significam um ritmo fora de eixo. Montagem é um oficio que eu amo, e que me traz profunda alegria e realização. As horas passam, e quando vejo, passou um dia inteiro.

Estudei Cinema na faculdade, e era a unica da turma que não respondia "quero dirigir" quando me perguntavam o que faria depois de terminar o curso.
Logo de cara eu soube que gostava de montar filmes.
Os meus heróis eram a Thelma Schoonmaker, a Dede Allen, a Sandy Morse, o Walter Murch.
No terceiro semestre decidi fazer um credito de Film-Editing e escolhi um cujo professor era um russo expatriado. Como já tinha estudado um pouco sobre a historia do Cinema, achei que um professor de montagem russo tinha tudo a ver. Afinal de contas os russos inventaram a montagem e já no inicio dos anos 1910 tinham ideias tão elaboradas a respeito que se dividiram em duas escolas diferentes: a de Lev Kuleshov (que acreditava que a verdadeira essencia do cinema vinha da montagem) e a de Sergei Eisentsein (que achava que a montagem tinha de ser ilustrativa e veiculo de narrativa). Isso décadas antes de montagem ser reconhecida pelo Oscar em 1934, quando Conrad Nevig ganhou pelo filme Eskimo (que eu nunca consegui assistir). A verdade é que o montador veio a ser reconhecido como participante importante do processo criativo de um filme nos ultimos 30 anos apenas.
Mas, voltando a aula de montagem, no fim das contas o professor falava com um sotaque quase indecifrável, a aula era sobre a teoria da montagem, e eu saia frustrada sem ter montado coisa alguma cada vez acreditando mais que algumas coisas não se aprendem na faculdade, mesmo com professores russos. Quando saí da faculdade já comecei a trabalhar com montagem, quero dizer.... fui recepcionista, depois aprendiz, depois segunda assistente e assim por diante. Tive o previlégio de ser assistente de pessoas incriveis que puderam exercitar toda a paciencia delas em mim. (John Palestrini, Greg Letson, Pam Green, Bruce Ashley e Hank Corwin) Hoje eu tento passar adiante um pouco do que recebi, sempre dou as dicas que me pedem e procuro deixar claro que montar um filme não tem só a ver com a capacidade de operar uma maquina, colocar um efeito ou resolver um cronograma. Montagem é um oficio que requer uso da intuição, do bom senso, da psicologia e da bagagem humana que cada um carrega em doses equilibradas. Por isso mesmo cada montador entregaria um filme diferente partindo do mesmo material. Exitem mais mulheres nessa do que nas demais funções cinematograficas, de acordo com uma estatística do sindicato americano. Alguns de meus diretores favoritos começaram como montadores e levaram para a direção o timing de montagem. O Martin Scorcese é o melhor exemplo.
Montagem é uma arte que se aprende e se aprimora com o tempo e o olhar. Acho que valeu sim a aula de montagem com o sotaque russo porque foi lá que eu aprendi algumas regras basicas sobre narrativa e continuidade. Mas a melhor escola de montagem é a vida. Todo o material que passou pelas minhas mãos teve sua importancia. As vezes a solução está em uma imagem escondida depois do disparo da camera, ou antes da batida da claquete, e por isso cada frame merece o mesmo cuidado.

Estive olhando uma agenda, que guardei justamente por ter sido a primeira pos faculdade. E achei uma lista linda sobre algumas "regras" ou "cola" de montagem. Coisas que aprendi, que me foram ditas ou que li em algum lugar. Apesar dos anos passarem, eu achei que ainda tinham muito a ver com o que eu acredito.
•Nunca corte sem motivo.
•Quando em duvida, deixe um pouco maior.
•Sempre que possivel corte no meio de um movimento.
•Faça algo diferente em vez de continuar no que é garantido.
•Cuide de continuidade. Se for desafiar a continuidade, faça-o para contrinuir a narrativa.
•Primeiro pense na substância e depois pense no formato.
•Leve em conta sempre: emoção - ritmo - narrativa - espaço bidimensional da tela - espaço tridimensional da ação.
•Montando videoclipes - deixe a musica ditar os cortes.

Algumas montagens favoritas:
Videocilpes: "Jeremy" Pearl Jam (de Bruce Ashley) e
Longa Metragem:
"Age of Innocence" da Thelma Schoonmaker
"French Connection" da Dede Allen
"Marca da Maldade", "Godfather" , "Apocalypse Now" de Walter Murch
"JFK" de Hank Corwin
"Traffic" de Stephen Mirrione
"Snatch" John Harris

1 Comments:

At 10:16 AM , Anonymous miranda said...

adorei a aula de hj! :)

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home