Girl From Sao Paulo

"you are crossing the tropic of capricorn".

06 March 2010

droga é legal ou não?

Estou no meio de um livro chamado “Shantaram”, escrito por um moço australiano que se viciou em droga e praticou assaltos a mão armada a fim de sustentar o vício. Ele consegue fugir da prisão e chega a India, onde se vê envolvido com a mafia responsavel pelo tráfico de drogas, tanto as ilicitas quanto as legais que ele precisa para tratar os doentes habitantes da favela onde ele acaba sendo acolhido. O livro é impossivel de parar de ler, escrito de um ponto de vista bem humilde e cativante, e relatando uma incrivel história de superação. O ex prisioneiro passa a ser a unica fonte de tratamento de pequenos problemas de saude para uma população enorme que vive nos barracos da maior favela da india sem qualquer assistencia medica ou social. Mas a maneira apaixonada com que descreve a India faz do pais um personagem aparte, e deixa o leitor com vontade de a conhecer.
Descobri que o livro vai virar filme de Hollywood, que o Johnny Depp está interessado em protagonizar o autor.
Esse assunto todo da trajetória do autor em conversa entre amigos, levantou a questão de legalizar ou não o uso de drogas a fim de descriminalizar o consumo.

O assunto é polemico, porque eu não sou moralista e nem contra droga, e sou bem a favor de cada um viver a vida da forma que acha bom. Tenho amigos muito queridos que consomem maconha regularmente.
Mas me vi no meio de uma discussão sobre liberar ou não o uso da maconha, e descobri que um dos motivos que me levam a não fumar é a culpa que sinto se o fizer.
Tenho muitos outros motivos pessoais, mas este é o que nos interessa hoje.
Da forma que as coisas estão hoje, ainda sem o uso ter sido liberado, acho que é impossivel que uma pessoa use droga sem aceitar junto uma parcela de responsabilidade pelo crime e ilegalidade que a trajetória dessa substancia impõe.
Simples assim.
Cada pessoa que fumou maconha numa festa, está invariavelmente ligada ao distribuidor que foi a boca de fumo comprar, ao gerente da boca de fumo que vendeu, a mula que trouxe o bagulho da colombia escondido, ao traficante fodão que suborna a policia e fiscais de fronteira, e ao produtor nas montanhas isoladas que se proteje com armas de guerra compradas no mercado negro. Se houver outra maneira de encarar o assunto eu estou bem curiosa para saber qual é.

É chato escutar de pessoas descoladas e modernas que a minha postura é careta, quando na verdade o meu ponto não é moralista. Eu não sou contra as pessoas se drogarem, sou contra elas o fazerem sem terem assumido a responsabilidade de que elas estão participando de uma cadeia de crime. Se a gente não rouba, vota e paga imposto, porque é tão dificil ver a questão de consumo casual de drogas pelo mesmo prisma?

Me impressionariam mesmo os usuarios que produzissem sua propria safra de maconha, plantada e colhida sem implicar a ilegalidade de toda a máquina de crime existente e sem colocar a responsabilidade em mais ninguem. Se a policia pegasse, a pessoa assumiria, como assume quando leva multa de velocidade ou sonega imposto.
Faz sentido, não?
Sou a favor de legalizarmos o uso de maconha como se faz na Holanda por exemplo. Fica tudo dentro da lei, a droga é taxada como o cigarro e alcool, e os holandeses sabem que as balas disparadas nas disputas territoriais entre traficantes no RJ não foram provocadas por seu consumo.

Vou continuar no livro, curiosa para ver como tudo se desenrola.

7 Comments:

At 5:47 PM , Blogger ANANDA said...

Concordo com cada palavra. E acrescento que nesse assunto, como em muitos outros, a cocaína é ainda pior...

 
At 9:36 AM , Blogger siguara said...

Tem razão, tomara que legalizem, tomara que possamos plantar e consumir assim como consumimos cigarro e cerveja. Enquanto isso não acontece segue a ilegalidade.
É difícil ser certinho em tudo na vida. É difícil ficar rico sem sonegar ou explorar. Você acha que quem compra um dvd pirata tem noção do tamanho da encrenca? E quem compra eletrônicos no Promocenters da vida? E jogos, música e downloadas irregulares? Tá complicado ser responsável... Não é para abafar a minha culpa, só acho que dentro do mundo que vivemos fumar maconha é muito pequeno comparado a milhões de crimes que as pessoas cometem diariamente junto até à amigos e familiares...
Viajei? Prefiro falar desses assuntos ao vivo...

 
At 9:36 AM , Blogger siguara said...

Tem razão, tomara que legalizem, tomara que possamos plantar e consumir assim como consumimos cigarro e cerveja. Enquanto isso não acontece segue a ilegalidade.
É difícil ser certinho em tudo na vida. É difícil ficar rico sem sonegar ou explorar. Você acha que quem compra um dvd pirata tem noção do tamanho da encrenca? E quem compra eletrônicos no Promocenters da vida? E jogos, música e downloadas irregulares? Tá complicado ser responsável... Não é para abafar a minha culpa, só acho que dentro do mundo que vivemos fumar maconha é muito pequeno comparado a milhões de crimes que as pessoas cometem diariamente junto até à amigos e familiares...
Viajei? Prefiro falar desses assuntos ao vivo...

 
At 9:36 AM , Blogger siguara said...

Tem razão, tomara que legalizem, tomara que possamos plantar e consumir assim como consumimos cigarro e cerveja. Enquanto isso não acontece segue a ilegalidade.
É difícil ser certinho em tudo na vida. É difícil ficar rico sem sonegar ou explorar. Você acha que quem compra um dvd pirata tem noção do tamanho da encrenca? E quem compra eletrônicos no Promocenters da vida? E jogos, música e downloadas irregulares? Tá complicado ser responsável... Não é para abafar a minha culpa, só acho que dentro do mundo que vivemos fumar maconha é muito pequeno comparado a milhões de crimes que as pessoas cometem diariamente junto até à amigos e familiares...
Viajei? Prefiro falar desses assuntos ao vivo...

 
At 11:12 AM , Blogger vaneide said...

A gente tem essa mania de colocar assuntos em perspectiva, muito pelo hábito que possuímos de relevar tudo à nossa volta, um péssimo hábito. A verdade é muito simples, o errado é errado e ponto, e eu me incluo nesse meio. Não consigo realmente pensar em algo mais coerente que a legalização nos moldes de Amsterdam, coerente, porém complicado se pensarmos na exportação para a nossa cultura..

 
At 4:36 AM , Blogger Fábio Yamaji said...

Concordo 100% AP.
Quem consome sustenta o crime organizado, simples assim. E pra satisfazer um prazer pessoal, não essencial.
Mas cada um sabe o que faz.

O curioso é que a maioria das pessoas que conheço que consomem maconha (pra citar a substância ilícita mais leve) levantam as bandeiras do vegetarianismo e/ou da postura ecológica pra marcar posições política e/ou humanitária. Isso quando não saem circulando sozinhos em seus carros em trechos que seriam facilmente vencidos a pé ou de metrô - mas fazem questão de não pegar o saco plástico ao comprar jornal na banca.
São posturas de conveniência, de pose e de egoísmo, onde a coerência passa longe.

Vários motivos me fazem nem experimentar a droga mais leve, entre eles os citados no seu texto e o meu problema com fumaça (rinite). Mas o motivo que mais pega pode parecer o mais bobo: quando adolescente prometi à minha mãe que nunca experimentaria. Sei que desde os 18 posso fazer o que bem entender sem dar satisfação a ninguém (arcando com as consequências, claro), mas sinto que a estaria traindo violentamente se fizesse isso. É mais que o suficiente pra nem chegar perto. E por sorte também nunca tive curiosidade ou tentação, então nunca foi um sacrifício.
Enfim, esse assunto é muito claro pra mim. Não é polêmico.

 
At 9:26 AM , Blogger Girl From Sao Paulo said...

Yamaggio,
eu adorei o seu motivo, singelo mas lindo e coerente. Como a pessoa que você é e de quem eu tanto gosto.

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home