Girl From Sao Paulo

"you are crossing the tropic of capricorn".

24 July 2008

the new blonde ambition tour


Com 30 dias para visitar portugal, frança, espanha, andorra, inglaterra, monaco e um pouquinho da italia, algumas coisas são vistas de relance. Muitas fotos tiradas do carro (muitas delas com arbustos que na hora h surgem na frente da paisagem), muitas comidas por experimentar, muitas caminhadas por fazer e com certeza muitas conversars madrugada adentro com muitos amigos. Brinquei com os meninos que até a Madonna tem um pouco mais de tempo entre show, e eles começaram a rir e agora dizem que estamos na blonde ambition tour.

Algumas coisas observadas e bem resumidas só para meus amigos verem por onde andamos:

- rever amigos é sensacional, e te-los ou não no lugar tem feito toda diferenca para mim, entre amar ou não o lugar visitado.
- lisboa- tão linda como sempre. Fomos a Sintra, onde somos logo transportados no tempo, tomamos cafe no hotel onde morou o Lord Byron e almoçamos na cidade algumas vezes. A Regaleira é um lugar mágico. O Castelo dos Mouros é impressionante pela façanha de ter sido construido no seculo 8 em um lugar tão dificil de transportar aquelas pedras enormes e pesadas. Fiquei pensando em quantas pessoas morreram para que fosse construido. A vista é espetacular (apesar de estar tremendo com a altura e o vento, consegui fazer um videozinho na super camera canon que em breve coloco aqui. Lisboa é uma cidade linda, barata, simpática e cheia de história e moderna ao mesmo tempo. Visitamos os Jeronimos (ver o tumulo de camoes e de vasco da gama foi emocionante) e comemos os famosos pasteis, e visitamos a Torre de Belem. Triste é ver os toxicodependentes (viciados em heroina) a pedir esmola nas ruas.
- londres continua exatamente como eu lembro, e continua não sendo meu lugar favorito, apesar de ter a melhor moda e os melhores museus que são gratuitos. Fiquei com pena de não ver a mostra de Hadrian que vai abrir agora em Agosto, mas consegui ir ao Tate Modern onde havia uma mostra do Cy Twombly que é um de meus favoritos. Foi um presente do universo, na verdade, essa coincidencia. Curiosamente, a parede externa do museu tinha uma pintura dos Gemeos, uma dupla de artistas que expoe normalmente na Vila Madalena. Foi engraçado ver. A gente ficou na casa de uma amiga que já nos visitou em SP. Ela mora em Clapham Common, numa casa bem inglesa, com um jardim super cuidado. Jantámos com a irmã dela e o cunhado que é produtor de comerciais e foi legal trocar figurinhas. E foi demais encontrar com uns amigos de trabalho e da vida, principalmente minha queridissima A.A., que agora mora lá e que tanta falta faz no brasil. (Brinco que ela e o andré m. são os cariocas mais suíços que eu conheço)
- paris continua linda, mas os franceses ainda não se tocaram que hoje em dia vivem de turismo e que precisam ser um pouquinho mais simpáticos, nem que seja para explicar um caminho ou rua. (se alguem discorda, por favor mostre o que tem saido de bom da frança ultimamente, em termos de literatura, cinema, arte ou alguma dessas coisas que a gente admira). A gente teve a sorte de ficar no apartamento de uns amigos em Montmartre. Um deles trabalha entre Torino e Paris, o ap estava vazio e eles gentilmente nos ofereceram. Lucky us. No meio de Montmartre, a uma curta caminhada de tudo. Encontrei minha querida amiga Sylvie de quem já escrevi, e o querido Carlo que foi durante anos em NY o melhor amigo de meu marido.
- italia é o lugar onde o comportamento mais se assemelha ao do brasil. Nunca tinha visitado, e agora depois de 3 dias (ridiculamente pouco e curto) já deu para sentir o quanto da cultura italiana está emaranhada na do brasil. Eles são calorosos, simpaticos, esforçados para se comunicar e a comida deles é a melhor do mundo. Dirigem como brasileiros, e falam com as mãos, olham a gente nos olhos e percebe-se que realmente querem saber o que estamos querendo dizer. Ficámos na casa de um casal de amigos (os donos do apartamento de Paris) e eles nos levaram aos melhores restaurantes da região, e fizeram uma refeição memorável com ingredientes saidos da horta. Sensacional. Foi em Torino que nasceu o Slow Food Movement, e fiquei com vontade de aprender mais a respeito. O Gustavo é produtor de cinema independente e me disse que o motivo pelo qual tinha se envolvido com cinema, foi o contacto que teve comigo em NY. Conhecmos o Gustavo anos e anos atras, durante nossa lua de mel. Enquanto a gente morava em NY, ele veio visitar algumas vezes, e apesar de termos mantido contacto eletronico, não nos viamos há uns 14 anos. Acho que já comentei sobre isso antes, mas é muito incrivel poder dar um salto no tempo, chegar a uma vida que deixámos para tras e podermos olhar para ela por uns momentos. Esta viajem tem feito isso comigo, ao rever amigos de outras vidas e lugares, e perceber que apesar das distáncias e linguas que nos separam, temos entre nós uns pontos de união que transcendem tudo mais. Fazemos parte da história uns dos outros, para sempre.
-geneva- a cidade mais limpa e organizada que eu já vi na vida. Comprámos chocolates e caminhámos pelas ruas.
- nice e monaco desapontaram. nice virou um calçadão e monaco é como sempre foi, um lugar onde se olha o carro e a joia, cheio de jet setter e eurotrash. Mas vale a pena ver.
- avignon e provence e montblanc - simplesmente sensacionais. Eu particularmente amo a provence e sempre tive um carinho especial pelas pessoas simpaticas, pelas comidas, pelos cheiros e pelo vinho. Em avignon o povo encena Moliére nas ruas, a cidade é um burgo (rodeada pelas muralhas do castelo onde os papas viveram durante 80 anos) e é muito pituresco entrar em um mundo tão medieval. O vento é incrivel, e a comida idem.Com certeza lugares para voltar muitas vezes ainda. Montblanc é turistico, mas vi´mos no verão quando a população é bem menor e composta por alpinistas e turistas. Os meninos subiram num lift (chegaram a 4,000 metros de altitude) e viveram a façanha de tomar sol de camiseta e mexer em neve 20 graus abaixo minutos depois. E eu aproveitei para tomar um sol.
- pyrenees - ficamos em um castelo nos pirineus. Meio do nada. O castelo é coisa de contos de fadas, foi casa dos Ducs de Joeyuse desde o seculo 16. Imagino que tenha sido um lugar de caça, e produção de vinho. Mas não consigo me imaginar vivendo de maneira tão isolada. Para chegar levámos 2 horas e de lá até Barcelona foram mais 3 tudo por estradinhas curvas montanha adentro. Se fosse me isolar para escrever um livro ou algo assim, com certeza seria um lugar perfeito. Andamos caminhando pela cidade e vimos termas romanas, e muitas pessoas mais velhas. A aldeia vive em função deste castelo que virou hotel, e o isolamento delas deixou-me um pouco triste. Vale comentar que os franceses chama este território de Cathars Province, e segundo o wikipedia, os Cathares foram um povo que decidiu renunciar a bens materiais e luxos em função da pureza do amor (entre os seculos 8 e 13). Ultra resumido, pois tenho certeza que há muitas nuances importantes a considerar para entender o isolamento e a solidão em que as pessoas parecem viver, mas achei que este resumo ajuda a entender. Realmente, assim que o sol se foi, a aldeia mergulhou em uma calma total. Um lugar equivalente no nordeste do brasil teria pelo menos um forrozinho a tocar em algum lugar.
- salamanca e san sebastian- salamanca é uma cidade completamente rodeada por planicie, e sem arvores. As ruas tem ciprestes que são aquelas arvores com cheiro de cedro, mas parecem os arbustos de cemitério. A cidade está cheia de estudantes, e tem sua beleza, mas o isolamento e a falta de arvores tocou-me de forma estranha. E San Sebastian, que prometia ser cheia de vida, estava desolada as 10 da noite. Não conseguimos achar lugar para comer.
-banheiros publicos - não há suficientes. Em Montecarlo andei um monte pelas ruas, tentei usar o banheiro do casino e o guardinha quase me levou pelo braço para a rua e finalmente perguntei aos policias e me mostraram um banheiro publico. Mas esta situação se repete em vários lugares. Acho muito estressante precisar ficar a procura de banheiro e não poder nem usar o de um cafe (muitos cafezinhos não tem banheiro). Mas já estou fiando espertinha.

- agora falta: Barcelona, Madrid, Lisboa de novo e o Alentejo.

Beijos a todos.

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home