Girl From Sao Paulo

"you are crossing the tropic of capricorn".

29 January 2008

Feliz Aniversário




Hoje seria o aniversário de meu irmão, que foi embora poucos meses atras.

Lembro-me do dia em que ele nasceu.
Minha mãe tinha decidido que ele nasceria em casa com uma parteira. Morávamos bem proximo ao hospital, caso fosse necessário o carro estava a postos. Mas ela queria muito ter o filho em casa, depois de ter passado por uma experiencia muito dificil durante o primeiro parto dela que durou mais de 30 horas.
Eu lembro que tinha uma noção bem abstrata sobre o que estava acontecendo. Sabia que haveria de aparecer o tal irmãozinho, de alguma maneira, e que o reboliço que se instaurara ne nossa casa tinha de ver com ele. Eu estava convencida que logo que ele nascesse, eu podria brincar com ele, pois era isso que todos diziam. "Vais ter um irmãozinho para brincares". Para mim isso era igual a dizer que eu ganharia um boneco só que de verdade.
As minhas tias chegaram e começaram a entrar e sair do quarto, mantendo a porta sempre fechada. Não lembro de nenhum detalhe que me chamasse atenção, a não ser pelo facto de minhas tias estarem muito comprometidas com minha brincadeira. Queriam que eu fosse andar de biciclete, brincar na rua com minha prima, etc. Ou seja, algo me dizia que havia algo ali que era bem mais interessante. E com a confusão, acabei por entrar sorrateiramente no quarto. Fiquei quietinha aos pês da cama, e minha mãe foi a unica que me viu, mas de tão absorvida nem reagiu. Em questão de segundos, escutei o choro de um bebe. Não o vi logo porque aos pés da cama havia uma madeira quase mais alta do que eu, e mesmo estidada na ponta dos pés eu só conseguia ver o rosto da minha mãe. Todos pareciam felizes, o meu pai chorou (lembro disso porque me assustou muito ver o meu pai a fazer algo que eu associava a frustração ou dor, e não a emoção) a minha tia levantou-me um pouco para eu poder ver a criatura meio cor de rosa e logo depois levaram-me para a sala.
E meu pai veio até a sala e me perguntou qual nome eu queria que meu irmão tivesse. Sem pensar duas vezes disse "João Filipe"
Ele foi um bebe gorducho, muito alegre e sempre alguem nos parava na rua para comentar algo sobre os enormes olhos castanhos dele. Foi o meu boneco durante um tempo, até que me ultrapassou em altura e força. Um dia me agradeceu pelo nome, brincando que ainda bem que eu não tinha escolhido algo como Sebastião ou Floreal (nomes de uns tios, by the way).

Depois de sua morte, achei que minha tristeza não teria jamais fim. Mas como minha amiga-irmã-de-alma me garantiu, a tristeza segue para sempre, mas ela se suaviza com o passar do tempo. Já começo a pensar nele com lembranças mais alegres ou engraçadas.


Hoje vou brindar por ele. No almoço, no jantar, onde eu estiver.
Feliz aniversário irmãozinho.

1 Comments:

At 4:20 PM , Blogger Guerreira said...

puxa...

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home